20 outubro 2008

MINHA NOITE DE AUTÓGRAFOS

Livro pronto!
Preparar o lançamento!
Diz a lenda que para autor desconhecido é mais fácil escrever e editar um livro que se livrar deles depois.
Nenhuma notinha nos grandes jornais, nenhum comentário nas rádios, o talk show de fim de noite cancelou de última hora...
Ainda assim, tudo dará certo...
Tem que dar certo! Sejamos otimistas... Sou corinthiano... Não desisto nunca...
Sou conhecidíssimo...
Não param os telefonemas em casa...
Só ontem me ligaram a Clarinéia, a Nathalina, o Cleófanes do telemarketing de uma empresa de telefonia, o João, o Paulo e o João Paulo da outra, a Maria, a Cida, a Stephanie de uma TV a cabo e não posso esquecer os convites para ligar para as moças que fazem propagandas de disk-amizade na TV.
Teve ainda o Sr. Raul do Banco Deus me livre, o Messias da Igreja Transversal do Quadrângulo da Santíssima Tríade, a mulher do outro Messias, o da padaria, me lembrando que virou o mês e não paguei a conta.
Ligaram também várias pessoas oferecendo-me empréstimos em consignação do Banco Santander, do Banco BMG, do Banco Itaú, do Citi Financial, do Banco Cruzeiro do Sul (nem sabia que existia)...
A Etelvina da lotérica perguntou se eu não queria arriscar ganhar no milhar e bateu à porta um vendedor do Baú da Felicidade me empurrando carnê com show do milhão.
Ligou-me a Bruna.
Surfistinha, uma ova!
Quem me dera fosse a Lombardi.
Uma gracinha...
Convido a Hebe?
Ligou-me a Bruna de um golpe, digo plano, de Saúde.
Esqueci alguém?
Ah! Claro...
Ligou-me a Sra. Maria Clara da Associação de Cegos Sol Brilhante, a Dorinha da Al Caid - Alimente a Casa de Amparo ao Idoso Desamparado -, o Sr. Xavier do Centro Espírita À Caminho da Luz com Jesus e, óbvio, a dona Primavera da infalível e persistente LBV (Legião da Boa Vontade), que liga todos os dias em todas estações do ano.
Foram as que anotei antes de acabar a tinta da caneta esferográfica.
O Takeo, aquele meu vizinho primo do PQP, anotou alguns outros nomes para mim...
Procuraram-me também empresas de cobrança.
Não tenho o que reclamar.
Público para noite de autógrafos existe.
Só achei estranho a pressa deles quando tentava falar do evento.
Acho que nem anotaram a data e o preço do livro.
Provavelmente não compareçam e percam a oportunidade de fazer um “merchand”.
Mas a esperança é última que morre.
Convidei todos meus padrinhos e madrinhas.
De batizado, de crisma, de casamento.
Estou pensando em convidar também as madrinhas de bateria das escolas de samba aqui do pedaço.
Inclusive a dona Esperança, minha madrinha de (quando eu lembrar, eu conto). Ela sempre disse que eu era como um filho para ela...
E uns candidatos a vereador...
Teve eleição este ano...
Acho que vou convidar até cunhados...
Eles podem ser úteis trazendo o pessoal da sinuca para contar umas piadas...
Comprar, cunhado não compra nada mesmo...
Mas fazem número... Comem salgadinho pra caramba...
Não tem importância... Ia sobrar mesmo...
Convido o pessoal da faculdade?...
Vai parecer baile da terceira idade...
Tudo aposentado...
Convido o pessoal do Orkut e amigos virtuais...
Devagar com o andor que a tiragem é só 500...
Vai faltar livro...
Estou só vendo as desculpas...
“Estava com gripe! (já aconteceu comigo)...”
“Minha sogra chegou de repente... (e quer desculpa melhor para sair de casa?)”
Não será dia de futebol, então esta desculpa está eliminada...
“Não pude ir porque o local era difícil de chegar...”
É “colado” a estação do metrô, lugar seguro e de fácil acesso...
Quase impossível, mas consegui...
Geralmente se é seguro, não é de fácil acesso...
Pensando bem, em São Paulo nada é de fácil acesso, exceto o acesso de raiva ao ficar preso no trânsito, no aeroporto...
Preso?
Opa! Uma idéia se sobrarem livros (que não sobrarão!)...
Farei um segundo lançamento num centro de Detenção Provisória...
Público certo.
Farei o lançamento em dia de jogo...
Timão (no bom sentido).
Peguei até a escalação.
Marcola, Cacciola e Fernandinho;
Nagi, Salim e Celsinho;
Uê, Chapolim, Abadia, João Carlos e Lalau
Um time como nunca Dantas se viu...
Dois problemas.
Se continuar essa onda de Hábeas Corpus, haverá muitos desfalques e a pelada perde o atrativo.
Segundo, preciso levar muitas canetas, porque elas podem se evadir enquanto estiver autografando...
Esta piadinha foi politicamente incorreta, mas foi o que deu para o momento.
Vai aparecer ONG, tenho certeza.
Ótimo, mais público para comprar livro.
Enfim, ONGs precisam lavar dinheiro.
Mãos à obra!
Mãos na massa!
Como tudo sempre termina em pizza, quem sabe eu não termine vendendo à porta de pizzarias, teatros, na praia.
Coisas “tipo assim”:
Compre quinze espetinhos e ganhe um livro.
-------------------------------------------------------------------
Enfim, fiz este breve texto para lembrar-lhe que você está convidado...

Dia 24 de outubro!
Não perca!
Big, best, mega, super, hiper Sarau de lançamento de meus livros

Para terminar, encerro jurando que vi este impagável cartaz ontem num evento: AUTÓGRAFOS AO VIVO!

Portanto, se eu estiver lá, não se assustem...
Estarei vivo!

2 comentários:

naturline disse...

Que lindo teu blog Adar com um texto maravilhoso. muito boas, mo' gostou muito, da mesma maneira que o blog, obrigado muito.

Toninho Moura disse...

Então, estarei em uma implantação de sistema em Alphaville, mas farei o possível para estar no evento. De qualquer forma, como ambos moramos em Sampa, considere um livro encomendado para mim.
Beleza? Mas tentarei ir de qualquer forma. Sabe como é..., de graça, até trem para o lado errado!
Braços!