25 setembro 2017

MANEQUIM



De sua natureza não ligar ao mundo a seu redor. Talvez iludido pelas luzes que nele refletiam, dando-lhe destaque, ignorava o risco. De repente, entre estilhaços e caquinhos, desaba, sem a cabeça, atingida em cheio pela bola perdida de um chute sem direção. De instante, gritarias. Fuga coletiva de um lado. De outro, em desespero raivoso, aos berros, lamenta-se a perda de mais uma vitrina. Dia seguinte, trocados ele e o vidro, o futebol voltou. Poucos se lembrarão do fato corriqueiro... Apenas mais um manequim.



14 agosto 2017

AMARRAÇÃO (DO BRAZIU)



Deve ser amarração
É mais que maré de azar
A mim, parece quebranto
Praga forte de madrinha...
Fiz consulta ao Pai João
Desculpou-se, mas não explica
Já pulei as ondas no mar
E joguei pinga pro santo
Fiz macumba com galinha
Nada de quebrar a zica

Deve ser amarração
Ou pior! Obra do Cão!
Nem acerto mais no bicho
Nos cavalos um “placê”
To devendo na lotérica
Gaveta cheia de carnê
Só arrumo “bico-mixo”
Luz em casa só de vela
A patroa fica histérica
Quando dá a hora da novela

Até dizem que não presto
Sempre fui um cara honesto
Cumpridor de meu horário
Mas não dá para fingir
O futuro está bem funesto
Que rumo devo seguir?
Não tem nem farol de trem
Indo em sentido contrário
Ao da minha estação
Deve ser amarração!

Basta-me falso discurso
Acreditar em promessa?
Só miragens no deserto
Dia vai melhorar? Carece!
A fome e a dor têm pressa
Cansa-me de tapeação
O que será que acontece?
Por que nunca dá certo?
O braziu não acerta o curso?
Deve ser amarração!