04 fevereiro 2009

CASSI CADA VEZ PIOR

CASSI CADA VEZ PIOR

Com o perdão da má palavra a melhor caracterização que eu dou a CASSI – Caixa de Assistência de Funcionários do Banco do Braziu – seria um circo às avessas.
Na platéia os associados, como palhaços se equilibrando e fazendo malabarismos para se encaixar nas diretrizes diatríbicas que os mandatários – quase todos filiados ao partido da estrelinha vermelha – decidem nos seus confortáveis gabinetes turbinados a ar condicionado e suco gelado.
A comparação se cobrir vira circo, se cercar vira hospício também é valida, pois os associados ficam doidinhos para entender as mudanças e atender as “novas exigências”.
Já contei do episódio onde tiver que esperar uma pessoa “especializada” para bater um carimbo e preencher um formulário onde deveria colocar meu nome e data.
Apenas para não cair no esquecimento, a CASSI está há mais de dez anos prometendo a criação de um Módulo de Atendimento na região sul de são Paulo e não consegue alugar um imóvel.
Vencidos os prolegômenos perfunctórios propedêuticos, passo a narrar a última peripécia vivenciada em virtude do péssimo atendimento.
A CASSI tem, ou promete ter, um programa de ressarcimento de medicamentos.
Há anos valia-me dele, com o mesmo medicamento para a mesma doença.
Agendei a consulta para revalidação de prazos.
Fui informado que teria que levar original e cópia do relatório médico.
A razão da cópia?
A máquina de reprodução de documentos da CASSI está quebrada.
Há meses...
Assim fui até ao centro da cidade entregar o relatório médico como manda a praxe.
Surpresa um!
Não era necessária a cópia.
Até aí, meno male...
Grand finale...
A surpresa dois!
Meu remédio não era mais reembolsável para a minha doença.
Motivo?
Alguém – esse tal de alguém deve uma similaridade do tal de deus que tanto falam existir e ninguém sabe quem é – lá em braziulia decidiu.
Ora, pois ouvir estrelas!
Vermelhas.
Se sou medicado, com sucesso, há anos com um medicamento, prescrito por profissional habilitado, como pode o medicamento não mais ser o recomendado?
Nem o SUS consegue esse feito e até a idolatrada Cuba fornece medicamentos.
Murphy não conhecia a CASSI.
Tudo pode piorar.
Na CASSI, acrescente-se “muito”...
---------------------------------------------------------------------------

Jorginho, depois de fazer o trabalho contra o time das terra da uva, dai-me forças para aguentar essa.

Um comentário:

Anne Lieri disse...

É,meu amigo,isso é Brasil!Muito bom texto!Afetuoso abraço,