20 fevereiro 2009

BANCOOP - A FARSA DA ASSEMBLEIA

BANCOOP – FARSA ENVOLVE MUITA GENTE

Clarifica-se e fortalece-se a impressão que muito mais que simplesmente o calote a três mil consumidores que pagaram e não receberam seus imóveis envolve a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo - BANCOOP.
O caso parece não colocar em risco, apenas, o que resta de credibilidade do sistema cooperativo do braziu, já maculado pela quantidade imensa de cooperativas de fachada - mais de quinhentas – desmanteladas pelo Ministério Público nos últimos anos.
Até agora, a maciça maioria dos casos com cooperativas de fachada envolvia empresas prestadoras de serviços que iludiram trabalhadores de mão de obra primária das áreas de segurança, vigilância, telefonia, serviços de limpeza entre seus lesados.
A BANCOOP não.
Vai muito além.
Envolve próceres do Partido dos Trabalhadores, líderes do sindicalismo brasileiro, sem nos esquecermos que a primeira-dama é cooperada e o grande sumiço de dinheiro ocorreu à época das campanhas eleitorais municipais de 2004, quando 60 milhões de reais tomados através das previdências de estatais evaporou.
O espetáculo visto no dia 19 de fevereiro na quadra do Sindicato dos Bancários, no centro de São Paulo, quando da farsa da Assembleia de prestação de contas e eleição de diretoria da organização foi digna de um filme sobre tráfico de influências, que sempre esperamos eliminados do braziu.
Uma série de comportamentos estranhos ocorreu entre as 17 horas – inicio do credenciamento dos participantes e 19.45h quando foi encerrada a assembleia.
A omissão do poder público impressionou ao mais cético.
Pessoas com liminares foram impedidas de participar da assembleia.
Entretanto, pessoas, muitas de aparência muito humilde, que confessavam nem saber do que se tratava, surgiram no local portando credenciais, algumas sem sequer passar pelo credenciamento.
Duas delas, entre as suspeitas de não serem cooperadas, foram levadas aos policiais de plantão no local que se recusaram tomar os procedimentos para o flagrante de eventual falsidade ideológica dos cidadãos e da fraude do credenciamento.
Pode parecer incrível, mas os soldados sequer solicitaram o RG e identificaram os cidadãos que praticavam o ilícito.
Ao terminar seu horário, não esperaram a troca de plantão e abandonaram o local, liberando os suspeitos, deixando escapar o que poderia ser a prova de um crime e ainda alegaram ter recebido ordens do comando no procedimento.
Casais, senhores aposentados e demais lesados presentes assistiram pasmos, mas pacificamente, a inusitada ação, ou será omissão, policial.
Mais de uma dezena de cooperados dirigiram-se ao 1º. DP para registrar o impedimento do exercício de direito, mas não conseguiram fazer os boletins de ocorrência.
Jornais, revistas, emissoras de TV alertadas sobre o evento omitiram-se na cobertura.
Lamentavelmente, obrigo-me a pensar ou em conivência ou na ameaça de cortes de patrocínios institucionais.
Não nos esqueçamos que irmãos siameses, politicamente, da diretoria da cooperativa de fachada estão nas presidências das grandes patrocinadoras estatais como Petrobrás, Banco do braziu, Caixa Econômica, assim como na direção de fundos de previdência, p.ex. Petrus e Previ, que emprestaram o dinheiro desaparecido à cooperativa.
Dentro desse quadro de irregularidades, em apenas 27 minutos – tempo entre a chegada da cassação de uma das liminares que impedia a assembleia e a saída dos participantes – a diretoria liderada pelo Sr. João Vaccari, suplente de senador, ex-presidente e atualmente diretor do Sindicato dos Bancários, deu como aprovadas contas de quatro anos, que são objeto de investigação civil e criminal, reelegendo-se para mais quatro anos na diretoria da organização.
Só para constar: Fui ameaçado veladamente por um dos seguranças.
Então, se eu sofrer algum acidente, seqüestro seguido de morte, et coetera...
Sei lá!
Assisto muito filme... Fico impressionado...

Um comentário:

md disse...

Sou cooperada, não consegui entrar na assembleia pois supostamente estou inadimplente com o rateio extra, imagino que todos devamos fazer B.O individual e de posse deste milhares de B.Os, pedir o cancelamento judicial da assembléia e da aprovavação das contas, um abraço, aguardo resposta.