29 fevereiro 2008

AS BICICLETAS DO MAIZENA


Há mais de trinta anos, nos tempos em que eu corria, diariamente e com alguma velocidade, no Parque do Ibirapuera, instalou-se, timidamente, um rapaz que começou a consertar bicicletas...
Depois passou a locação...
Tornou-se folclórico,...
Ponto de referência...
Local para entrega de chaves e achados e perdidos...
Emprestava ferramentas...
Eu mesmo cheguei a socorrer-me delas...
Tornou-se, no decorrer dos anos, um grande empreendedor do ramo de locação das ditas bicicletas... Tinha mais de 300 disponíveis...
Patrimônio do Parque?
Todo freqüentador do Ibirapuera já ouviu falar do Maisena...
A Prefeitura quer retirá-lo do Parque...
Essa noticia era em 2002...
A Prefeitura apreendeu suas bicicletas...
Essa é atual...
Essa briga arrasta-se há anos...
Quem está certo?
Há o lado folclórico, romântico de um rapaz que, à primeira análise, faz um bem à comunidade, oferece um produto que agrada a jovens e idosos...
De outra parte, há a necessidade de regularizar-se a ocupação do Parque...
Estudamos pedir a posse da área, argumenta seu advogado...
Epa, epa, epa!!!...
Não é bem assim...
Daqui para frente eu começo a discutir...
Vou querer um pedaço da pista de cooper, pois corria lá desde 1970, entre os eucaliptos, antes dela ser demarcada e existir propriamente...
E o Maizena, que meu corretor de texto insiste em chamar corretamente de Maisena, há muito tempo deixou de ser um serviço, digamos assim, para afastar alguém do desemprego...
O antes folclórico Maisena, ou Maizena, tem hoje quiosque, empregados, atendentes...
Então deve, sim, cumprir a legislação pertinente, que proíbe o comércio dentro do Parque...
Ou então todos os vendedores de cachorro quente, pipoca, locadores de bicicleta tem o direito igual...
Por via das dúvidas, vou atravessar a calçada e continuar a minha, hoje, lenta caminhada longe desta discussão, para evitar que os inflamados e organizados defensores da anarquia venham-me atirar pedras...

4 comentários:

Enio Luiz Vedovello disse...

Eu já aluguei bicicletas algumas vezes no parque. Nunca imaginei como uma atividade ilícita ou algo do gênero. Mas, se é para proibir o aluguel das bicicletas, apenas para manter a coerência, não deveriam tirar os carrinhos de sorvete e de gatorade, a lanchonete, a banca de jornais, a sorveteria, o restaurante do MAC, etc, etc, etc?

Anônimo disse...

Concordo com o Post. A atividade é sim ilícita e o Maizena não é nenhum santo.
Em 2007 foi condenado criminalmente por usar o documento de um usuário do Parque para transferir umas multas de trânsito.
Quem quiser conferir basta acessar o site www.tj.sp.gov.br e em consulta, acórdãos, digitar o n°9640033500
Figura folclórica é o saci pererê, não um invasor de área pública.

Pedro Henrique disse...

Parabens ao autor do texto.
De fato,para quem nao o conhece, Maizena é apenas uma figura lendaria do parque em que o "govrno mau" pretende fazer maldade.
Porem, poucos sabem de suas historias, e do que ha por tras, de mafica com deputados, vereadores, entre outros politicos que partilham do seu faturamento(façam as contas, jogando pra baixo a media de 50 bicicletas/dia.
foi aberto licitação para que ele pudesse se enquadrar dentro da lei,porem ele se recusou a participar.
Depois quando o governofaz vista grossa, o povo reclama!

Mônica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.