11 novembro 2008

COISAS DE CINQUENTÕES



Mon amie Sir Paul Alfred remeteu-me email onde eram listadas características vantajosas ou nem tanto quanto a completar cinqüenta anos.
Buá! Tinha que lembrar.
Farei uma abordagem relativamente a essa alvissareira data vista do ângulo dos dois sexos.
Um de cada vez é óbvio.
Começarei pela análise do ponto de vista masculino, quando poderei ser menos explícito.
De explicito já basta o sexo.
Ou a falta dele como diz o email.
Para as mulheres, deixamos para um segundo plano, quando seremos mais explicativos.
A primeira coisa que os homens descobrem quando completam cinqüenta anos é que se passou meio século, cinco décadas, dez lustros ou cinqüenta Natais.
Já vimos doze Olimpíadas, outras tantas Copas do Mundo e a cerveja continua fiel companheira.
Quando completamos cinqüenta anos, começamos a perceber que depois de algum tempo as mulheres mais jovens voltam a sorrir para nós quando nos vêem nos ônibus e metrô.
Logo a seguir perguntam se queremos sentar.
Experimente usar chapéu e óculos escuros, então.
A paixão nessa idade é um perigo.
Aparece uma quarentona de olho na sua poupança, requebrando a dela.
Cuidado, cantor!
Há outros riscos além do infarto.
Antes de se lançar de alma ao corpo dessa mulher, pense que se fizesse isso há trinta anos, seria acusado de pedofilia.
Quem avisa amigo é.
Atingir a adolescência da terceira idade é também um retorno a mais tenra idade.
Voltamos à primeira infância.
Tanto isso é verdade que começamos a visitar o médico com maior freqüência.
Como na época do pediatra.
São as dores inespecíficas que você não sabe explicar.
Tal qual a infância, muitas vezes o médico alega uma virose passageira para os pruridos, receita luftal para as cólicas intestinais.
Seu plano de saúde começa a ficar preocupado com o aumento da utilização e começa a desejar que use o seguro de vida.
No campo desportivo, você já não participa de jogos entre casados e solteiros.
Disputa jogos de casados e descasados.
Na bocha.
Até começar a escurecer.
Primeiro que você não consegue enxergar o balim e depois friagem é um perigo.
Velho quando pega uma gripe, corre o risco de transformar-se em pneumonia e ir a óbito.
Você percebe que não ronca mais no sofá da sogra, mas tem um estranho roncando no seu sofá.
Seus problemas de audição ficam perceptíveis.
Adora ouvir os cantores da Jovem Guarda.
Pior!
Sai dançando ao som de Johnny Rivers e faz todas aquelas coisas que você achava ridículo quando sua avó dançava raligali, porca e varsa.
O email de sir Paul diz que esquecemos até quem mandou o email e reencaminhamos ao remetente.
È mentira!
Se me lembro, isso acontece comigo desde os quarenta anos.

(e se eu me lembrar continuo outro dia).
-------------------------------------------------------------
Não se esqueça!
Compre os últimos exemplares de meus livros...
Pode não haver segunda edição.
-----------------------------------------------------------------

VOLTO NO DOMINGO, SE O PROVEDOR FUNCIONAR...

2 comentários:

PreDatado disse...

Caro Pedro estive lendo com muita atenção as considerações de St Peter, ups seria D. Paulo? Bom deixemos para lá isso do nome e é só para dizer que nenhuma daquelas coisas(espere um momento vou só baixar o som aqui dos Tokyo Hotel) me afecta. Na verdade, (poxa que essa garota aqui no MSN nem me dá um tempo pra deixar um comentário), continuando, na verdade eu não tenho cinquenta anos. Essa fase para mim já passou há mais de três. Um abraço pelo seu meio século. Há é ver,d,a,ede n~~ao esq,,,sçça de cologcgarr os óklos se..nanan não vay ++++ poder ler iiiiiiso ai.

A Senhora disse...

Eu li isso ontem, mas os meninos não me deixaram comentar. Eu nem quero saber o que acontece com as cinquentonas! :))

Beijinhos!