28 novembro 2008

CHAVE PRA QUE MESMO?

DA SÉRIE COISA DE MALUCO!



Diz a lenda, que esquecer onde colocou as chaves não é grave.
Grave quadro psiquiátrico é esquecer para que serve uma chave?
Pergunto-me muitas vezes:
Para que serve a chave?
Serve para eu ficar nervoso porque esqueço, com notória freqüência, onde deixei as ditas cujas.
Serve para chaveiro – profissional - ganhar dinheiro.
Parabenizo ao inventor do chaveiro – maravilhoso objeto onde penduramos as chaves.
Uma das mais úteis invenções.
As chaves são perdidas todas juntas.
Já pensaram ter que procurar uma por uma a chave da porta da frente, do cadeado do portão – coloquei cadeado por que tentaram roubar o hidrômetro e levaram o portãozinho dele e podem voltar para roubar os próprios portões, da caixa postal do correio, do armário da escola que ficam todas num chaveiro só?
Tenho um segundo chaveiro, do tamanhinho de uma roda de Scania, para as chaves do carro.
Antes que me esqueça, preciso contar que costumo esquecer, também, onde coloco chaves de fenda, chave estrela e assemelhadas.
Menos mal que as chaves sempre estão no último lugar onde as usei.
Invariavelmente nas fechaduras e cadeados devidamente abertos.
Ou na ignição.
Certa feita, lá pelos idos dos anos setenta cheguei na escola e veio aquela dúvida crucial:
Onde está a chave do armário?
Fácil! No console do fusquinha.
Não estavam...
Mas na porta do carro estava a chave do carro.
Felizmente, naquele tempo, os alunos eram menos sacanas e não tinham dado sumiço nela.
O chaveiro com a chave do armário ficara devidamente instalada na gaveta em casa que ficou com a porta da sala aberta.
Tinha passado a noite aberta, qual o problema de mais algumas horas.
Morava há uns dez quilômetros de distância.
Freqüência coletiva para os alunos naquele dia.
Incontáveis as vezes que voltei para casa e encontrei a chave devidamente dependurada na fechadura.
Depois dizem que em St.Paul tem ladrão.
Que tem, tem, mas aqui em casa, quando chegarem e encontrarem a porta aberta pensarão que algum companheiro (ooops!!” – ato falho) passou antes.
Na única vez que roubaram minha casa, entraram pela janela.
Tenho que prantear em louvores o genial engenheiro que criou o sistema que impede as portas dos carros de se fecharem sem as chaves.
Sábado de sol.
Atrasadíssimo para o campeonato de futebol do clube.
Porta batida...
Agora é só pegar a chuteira no porta-malas.
Fusquinha não tem porta-malas, dirá o atento e esperto leitor.
Já havia mudado de carro.
O segundo carro ser um fusca é pobreza ou fanatismo masoquista xiita.
Com que chave?
Com aquela que está novamente pendurada na ignição.
Um barbante, meia hora de tentativa e...
Pronto...
Carro aberto e o primeiro tempo do jogo encerrado.
Já contei a passagem em que fiquei andando pelas ruas com a chave na mão procurando o carro porque esqueci onde o estacionara?
Achar carros é tão ou mais difícil quanto achar chaves.
Embora não se escondam nas gavetas.
Guardo com muito carinho, em algum lugar de minha casa, as chaves de meu Passat 86, roubado em 1999 e até hoje não localizado.
Corroborando minha tese da inutilidade da chave, ele estava fechado...
Acho...
Mas a trava da direção estava...
Tenho quase certeza...
Tentei consertar a situação comprando um daqueles chaveiros com apito...
Uma maravilha paraguaia...
Quando eu não achava a chave, assobiava e...
Todo mundo acordava...
Cinco e meia da matina...
Até o guarda noturno veio reclamar que o estava acordando...
Havia um galo na vizinhança que cantava e o chaveiro respondia.
Coisa de maluco!
Sabiam que em Belém (PA) é costume deixar-se a chave embaixo do capacho ou no vaso de flores?
Fechar a porta para que, volto a perguntar.
Com o peculiar medo metropolitano coloquei alarme na casa.
Nas portas, janelas, gavetas, caixinhas de baralho, das bijuterias, armário embutido...
Posso sair tranqüilo...
Deixar a porta sem fechar com a chave, como fiz na semana passada.
Estou seguro.
Fiz também seguro da casa.
Seguro do carro.
Posso deixar tudo aberto.
O valor do carro para a seguradora é maior que o valor de mercado.
O seguro da casa admite que eu chame chaveiro três vezes por ano para abrir portas que eu eventualmente feche e perca a chave.
Pergunto:
Doutor, para que servem as chaves mesmo?
Por favor, o enfermeiro vai acompanhar o senhor até o quarto, enquanto providenciamos a internação.

Um comentário:

A Senhora disse...

Minha mãe e meu marido são ótimos nessa arte de perder chaves.

Mas, uma vez, na minha juventude irrequieta, juntamos a turma para viajar durante um final de semana prolongado. Fizemos as compras e deixamos o carro pronto e na garagem, lotado, para que logo de manhã pudéssemos sair.

No dia seguinte reparamos que a porta estava aberta e a chave não estava ali. Cadê???

No portão, do lado de fora, com TODAS as chaves no imenso chaveiro.

Quem disse que São Paulo é perigosa? kkkkk