09 abril 2008

POVO BRASILEIRO ADORA DROGAS




Apesar do título, hoje, não vou falar do governo

Não importava a origem...
Era fruto de crime...
A imensa fila (foto de Isabel Nogueira, o globo) que se formou em frente ao Jóquei Clube de São Paulo para o bazar dos bens apreendidos do traficante Abadia teve ares de tragicomédia e revela o oportunismo e a falta de ética da população braziuleira...
Empurravam-se e acotovelavam-se para entrar e comprar...
Cuecas usadas...
Calcinhas...
Um estudante de Educação Física teve a audácia de dizer que o traficante era um “cara legal”...
“E quem mora na favela da Rocinha é ajudado pelo tráfico”...
Apenas comprova-se que o ladrão se faz através da ocasião...
Pela visão estrábica desse rapaz, justificar-se-ia a montagem de barraquinhas para venda de bens roubados, desde que repassados para alguma associação que poderia ser, vamos dizer, a ALTO (Associação Ligada ao Tráfico Oficial)...
Reclamaram que a polícia jogou gás pimenta...
Que não havia organização...
Idosos reivindicavam o direito de atendimento preferencial...
Vade retro...
Digo a estes desocupados o mesmo que disse quando o MST invadiu terras que “pertenciam” ao traficante...
Queria ver reclamarem com ele lá dentro...
Era uma rajada só e os valentes reclamões sairíam todos correndo como coelhinhos assustados...
Outro cidadão, em seus quinze segundos de fama, lamentou que era uma pena o assassino colombiano fosse pequeno, mas que ia levar assim mesmo...
Sacoleira queria levar para revender...
Passa-me pela cabeça que muitos desejem que o traficante seja solto, possa amealhar mais bens, para uma nova liquidação...
Ainda que milhares de jovens morram todos os dias, mercê das drogas...
Fico pensando, ainda, qual será o prazer e bem estar em usar uma cueca, calcinha ou perfume sabendo que terão sempre o cheiro da cocaína...
Darão uma cheiradinha nas peças?...
Usar um Rolex que tem um resto de sangue das mais de trezentas pessoas assassinadas para que o traficante enriquecesse...
Ainda que o leilão tenha finalidades beneficentes, a reação da população é de chorar...
Enfim, é a mesma população que compra produtos “meide in chaina” contrabandeados, em barraquinhas de ambulantes irregulares...
Que moral exigir-se do governo, se basta jogar a migalha que o circo se instala...
Coisas de “terras brazilis”...
O braziu, que não verei transformar-se em Brasil...

Em tempo, ontem foi o dia dos pobres...
Amanhã será o dia do leilão dos ricos...
Carros, motos e afins...
Promete-se mais organização

Um comentário:

Andrade Jorge disse...

Amigo Pedro, infelizmente nós sofremos um grande mal: falta de cultura, afinal temos só 508 anos na história do mundo, essa é a realidade desse pobre pais rico.
Muito bom seu texto, a proposito convido a ler a poesia Cabeça de Negro no RL.
abraço
Andrade Jorge