19 abril 2010

DIA DO INDIO, TIRADENTES, DESCOBRIMENTO - TUDO JUNTO?????

Aviso aos plagiantes (ou seriam navegantes):
Estes versos estão devidamente registrados e protegidos no EDA
-----------------------------------------------------------------------------

AZAR DE INDIO - DESCOBRIRAM O BRAZIU...


Foste escolhido, meu caro Cabral!
Ainda chamado D´Álvares Gouveia
São ordens de Manuel, o Venturoso:
Dizem que Espanha tapeou Portugal
Irás atravessar o Mar Tenebroso
Até encontrares uns bancos de areia
Confirme não serem apenas ilhas
Que nos empurraram em Tordesilhas

Levarás excelente tripulação
Degredados tirados da prisão
Puxa-sacos reais, gajos da multidão
Para ungir-te mando Frei Henrique
No caso da caravana ir a pique
Cuide não perderes as caixas-pretas.
Por lá não me arrumes confusão!
Terão seus próprios picaretas.

Mãos à obra, Escola de Sagres!
Onze catarinetas postas ao mar
Grumetes “cabeças-de-bagres”
Afundaram uma antes da partida
Contando as Caravelas que eram três:
Saíram treze... Vade retro! Dá azar!
Reza para Senhora de Aparecida,
Ou Fátima... E lá vem o português!

Inexistindo motores para propulsão
À falta de vento tentavam o assoprão
Ou abanavam as saias das mulheres
Embarcadas escondidas nos tonéis.
Apesar do escorbuto e beribéris
Vinho do Porto, bacalhau e fado
Acalentavam as noites dos Manoéis
Abaixo do Equador não existe pecado!

Constam nos rascunhos de Caminha
Marinheiros mareados e muito tombo
Será Pastel de Belém com caipirinha?
Uma caravela sumiu... Obra de pirata?
Fugiu para o Caribe ou Rio da Prata?
Perdeu-se no mar ao rastro de Colombo?
Cabral! Veja lá se não me arrebentas
As embarcações no Mar das Tormentas

Diz a lenda que um barco encalhou
Cem marujos se afogaram a empurrar
Temiam que na linha do Equador
Corressem o risco de se enroscar
Pedro pelo convés: sou ou não sou?
Se perguntando se era bom navegador...
Imenso foi o susto quando no céu azul
Sumiu Ursa Maior, surgiu Cruzeiro do Sul...

Terra à vista! Ouvia-se a toda hora
Terra à vista! Dia e noite! Noite e dia!
Cansados jogaram o papagaio fora
Acorda Cabral! Vamos bater na Ilha...
Berimbaus! Acarajés! Era a Bahia
Minha Santa Cruz! Quanta gente nua!
Quanto Pau... Brasil!... Que maravilha!
Estava achada a terra da falcatrua...

Se a frota se foi sem muita marola
Aos nativos nada seria como antes
Vieram exploradores e Jesuítas,
Francês, Holandês, Bandeirantes,
Família Real com toda a corriola.
Mala e cuia, gente de toda a laia...
Peri, Iracema... Quantas desditas!
Corre pro mato! Não tem mais praia.

Cunhambebe, Araribóia, Tibiriçá
Hoje a terra é de outros caciques
Curumins doentes ao deus-dará
Quantas histórias de trambiques
Jaci não alertou seus pajés?
Nuaruaques, Canoeiros, Pataxó
Caiacangues, Xavantes, Aimorés
Mil tribos exterminadas sem dó...

Em se plantando tudo dá, eu sei
Mas será que plantaram certo?
Era esta a terra sonhada por ”El Rei”
Ao mandar o Braziu ser descoberto?

Um comentário:

Ivan disse...

Pedrão Careca. Achei super legal. Parabéns.