21 março 2009

BRASILIO MACHADO 1971 - UM REVIVAL

Tive o prazer de reencontrar colegas do Brasilio Machado
Nem me lembro se na época era Colégio Estadual e Escola Normal, Instituo de Educação ou outro nome qualquer que algum tecnocrata da educação tenha inventado.
O fato é que esse pessoal foi uma das últimas turmas de um ensino decente público.
A reunião foi de supetão.
Encontrei recentemente a Márcia no lançamento de meus livros.
Do Tatu nunca perdi o contato.
Com o Romeu e Douglas encontrei-me recentemente num supetão menor na hora do almoço.
O Douglas, a Suzana e Neumann mantêm contato.
O migrante Romeu ligou-me e deu a partida, lá de Goiânia.
Telefonemas para o baixista Douglas, a nômade Márcia, localizar o Meyer, seqüestrar o Tatu.
Douglas bateu tambor para a Suzana e o Neumann e pronto.
Sexta-feira, 22 horas o pelotão de prontidão na casa do Neumann, um local muito legal e apropriado para o grandioso e quase secreto evento, escondido dos paparazzi que devem estar se mordendo de raiva por haver perdido o momento histórico.
E tire a poeira das reminiscências 37 anos depois.
Casou? Descasou? E os filhos? Aposentou? O que está fazendo?
Como tira-gosto é legal!
Mas delicioso mesmo foi lembrar-nos das artes juvenis, de fatos guardados lá numa gavetinha da memória.
Fiquei sabendo que a Suzana tinha sido um príncipe.
Lembramos do dia em que subimos o obelisco do Ibirapuera pela escadaria interna?
Morram de inveja!
Que viu, viu!
Três horas foi pouco, mas um excelente aperitivo.
Não demore o próximo encontro outros trinta e sete anos.
Nem 27, se atendermos a proposta de nos vermos aos 80 anos de idade.
Que apareça mais gente da “tchurminha” que não tinha Internet e Orkut mas nem por isso deixava de navegar através de outros mares por um mundo de sonhos...
Encontrar esse pessoal foi um sonho realizado...

2 comentários:

Toninho Moura disse...

No final do ano passado também tive a felicidade de encontrar uma turma antiga. É muito bom!
Você pegou o finalzinho do ensino público de qualidade, que inveja!
Eu peguei o começo do fim!
Braços!

Neumann disse...

Márcia, Antonio, Pedro, Meyer, nomes que para mim já estavam esquecidos... Romeu, alguém com quem convivi um pouco mais, mas que foi para longe, como se pudesse sumir do mapa...
De repente, todos aqui na minha casa, contando um pouco das suas vidas e relembrando momentos de uma época boa quando estivemos juntos. Que sorte ter alguns amigos determinados a manter essa memória (Douglas e Suzana, sempre eles).
Obrigado a todos. Como bem disse o Pedro, que a próxima seja breve.